Indústria da Alimentação de JF revela pequeno crescimento em 2015

O Ano de 2015 foi de baixo desempenho para o setor de alimentação de Juiz de Fora, deixando os empresários retraídos para investimentos mais ousados. Porém, devido ao fato dos alimentos serem um item de primeira necessidade, o setor tem resistido melhor à crise do que os demais.  “A projeção média de crescimento no acumulado ficou entre 0,5% e 2,6%”, destaca a presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentação de Juiz de Fora (SIA-JF), Flávia Gonzaga.

O setor também foi atingido pelo cenário econômico e político do Brasil. Administrar o aumento dos custos fixos e variáveis devido ao avanço das tarifas de energia elétrica, água e combustíveis foi uma das grandes dificuldades enfrentadas pelas indústrias, de acordo com a presidente. “O disparo do dólar contribuiu também para inflacionar nossas embalagens e parte de nossas matérias-primas. Também tivemos que nos adequar as normas regulamentadoras de segurança de máquinas e equipamentos”, comenta Flávia.

Para Leomar Delgado, presidente do Centro Industrial de Juiz de Fora, o setor foi destaque em meio ao cenário atual das indústrias na cidade. “Ter uma porcentagem de crescimento, mesmo que pequena, é motivo de vitória. É preciso continuar buscando saídas inteligentes e soluções inovadoras para vencer mais um ano”, completa o presidente.

Para 2016, o sindicato aposta na participação de feiras regionais do segmento e exposição de suas marcas e produtos para alcançar o crescimento. Flávia comenta que o objetivo é continuar criando alternativas que possam reduzir custos para as indústrias, através do associativismo, compartilhando ações em comum a todas. “O fato é que toda crise traz em si desafios e oportunidades de inovação na mesma medida” analisa Flávia.